As descobertas científicas da Mecânica Quântica traduzem as Metáforas dos Evangelhos Apócrifos

Desde o início da trajetória do homem sobre a Terra, o mesmo anseia conhecer sua natureza e propósito de existência. Após séculos de confusão e de inúmeras crenças que fazem o ente humano se perder num devaneio, estamos cada vez mais próximos de nos compreendermos diante de provas irrefutáveis de experimentos realizados por  grandes questionadores, cientistas de vanguardas dispostos a encarar as verdades científicas de frente, livres de dogmas ultrapassados e interesses de poder. Graças a tal atitude, as informações dessas verdades científicas vem se tornando públicas, matando a sede dos sedentos, daqueles que buscam respostas para a existência  duma forma honesta e inteligente.

Mas ao se depararem com estas implicações científicas, inclusive aqueles que já tinham uma bagagem de busca por filosofias antigas e textos milenares, por lógica simples  perceberam que estas verdades já eram conhecidas dos antigos, que utilizavam-se de uma linguagem simbólica para repassar aos demais. A falta de compreensão, questionamento e deturpação do que significa esta linguagem, caiu como uma luva para aqueles que se utilizam de qualquer artifício como ferramenta de controle, alienação e domínio. O legado representativo são as religiões institucionalizadas, que ao em vez de nos trazer respostas e soluções no mínimo razoáveis, vem tornando povos intolerantes e irracionais, capazes de qualquer atrocidade em nome de uma fé cega. Cegueira esta é semelhante dos doutos do cientificismo materialista oriundo de séculos passados, são  tão apegados e desprovidos de reflexões perante as próprias crenças ultrapassadas, quanto os religiosos apegados a interpretação literal de seu livro religioso.


”Os pioneiros da física quântica – Erwin Schrödinger, Werner Heisenberg, Niels Bohr e Wolfgang Pauli – tinham uma pista do território metafísico que haviam violado. Se os elétrons estavam conectados simultaneamente em toda parte, isso indicava algo profundo a respeito da natureza do mundo como um todo. Os cientistas se voltaram para textos de filosofia clássica na tentativa de compreender a verdade mais profunda sobre o estranho mundo subatômico que estavam observando. Pauli examinou a psicanálise, os arquétipos e a cabala; Bohr, o Tao e a filosofia chinesa; Schrõdinger, a filosofia hindu; e Heisenberg, a teoria platônica da Grécia antiga.


Os fios soltos da física quântica nunca foram amarrados em uma teoria coerente, e a física quântica foi reduzida a uma ferramenta extremamente bem-sucedida da tecnologia, vital para a fabricação de bombas e para a eletrônica moderna. As implicações filosóficas foram esquecidas, e tudo o que restou foram as vantagens práticas. A maioria dos físicos de hoje se mostraram dispostos a aceitar, sem uma análise mais profunda, a natureza bizarra do mundo quântico, pois os processos matemáticos, como a equação de Schrödinger, funcionam bastante bem. Mas balançaram a cabeça diante da qualidade contra-intuitiva de tudo aquilo.Como poderiam os elétrons estar em contato com tudo ao mesmo tempo? Como poderia um elétron não ser uma coisa definida enquanto não fosse examinado ou medido? Como poderia, na verdade, qualquer coisa ser concreta no mundo, se era ilusória assim que começávamos a examiná-la mais de perto?


A resposta deles foi dizer que havia uma única verdade para tudo o que era pequeno e outra para tudo o que era muito maior, uma verdade para as coisas vivas, outra para as coisas inanimadas, e aceitar essas aparentes contradições da mesma forma como poderíamos aceitar um axioma básico de Newton. Essas eram as regras do mundo e deveriam simplesmente ser aceitas sem discussão. A matemática funciona, e isso é tudo que importa.


Um pequeno grupo de cientistas espalhado pelo planeta não estava nada satisfeito em continuar lidando automaticamente com a física quântica. Eles exigiam uma resposta mais adequada para muitas das grandes perguntas que haviam sido deixadas sem resposta. Eles prosseguiram com suas investigações e experiências a partir do ponto em que os pioneiros da física quântica haviam parado e começaram a fazer um exame mais profundo.”

Retirado do Livro ”O Campo”.


Utilizando uma linguagem bem simples, vamos levantar  conclusões básicas respaldadas nas descobertas científicas da Mecânica Quântica:

*-Há uma Única Energia Consciente que permeia tudo que existe, consequentemente,
tudo que existe são formas diferentes de expressão dessa Única Força Consciente.
*-A Consciência Individualizada cria a própria realidade,assim sendo, tem a capacidade de alterá-la.
É de suma importância compreender o experimento que engloba estas significações, podemos ate chamá-lo de ”Chave-Mestra”, me refiro ao experimento da Dupla Fenda.

”Um homem de caráter bondoso não irá facilmente provar um prato, no qual haja crueldade misturada. É verdade, ele não infligiu a tortura, os seus sentimentos não teriam permitido; mas foi possivelmente infligida por sua causa, ou senão, ele deveria ao menos demonstrar a sua desaprovação da cruel arte, abstendo-se estritamente das carnes que tivesse infectado” Thomas Young

Este experimento foi realizado por Thomas Young em 1803. Young, além de físico era médico, egiptólogo, professor de filosofia e poliglota, dominando 14 idiomas – um verdadeiro gênio no sentido mais completo da palavra.
O experimento não só ajudou a resolver o debate de séculos sobre a natureza da luz, mas também demonstrou que uma partícula pode se comportar tanto como onda como partícula, a partir da decisão consciente de um observador (o indivíduo que realiza o experimento). A curiosidade de Young o levou até mesmo a tentar decifrar a antiga escrita egípcia na Pedra de Rosetta. (Chegou a alguns resultados de fato corretos, embora só o linguista francês Champollion, alguns anos depois, conseguisse dar conta de tarefa tão complexa.)

 

Um dispositivo lança elétrons em direção a um obstáculo com uma fenda, na parede por de trás desta fenda demonstra o comportamento que estes elétrons estão se expressando. A expressão na parede revela que os elétrons se comportaram como matéria (partícula).

Ao colocar uma segunda fenda, se esperaria um comportamento igual, e na parede veríamos duas tiras uma do lado da outra. Contudo, algo inusitado acontece, e na parede vemos um comportamento de expressão de onda.

Para entender com clareza o experimento, se optou realizá-lo com um único elétron de cada vez, assim um elétron não poderia interferir no outro. Depois de muitos elétrons, um a um, atirados pela fenda, o fenômeno visto na parede foi o mesmo.
Então não se tinha concluído ainda se o este único elétron passava por uma fenda, ou pela outra, ou pelas duas fendas ao mesmo tempo. Parecia se comportar e se expressar na parede de inúmeras maneiras distintas. Para poder entender isto, colocou-se antes de uma fenda um aparato que pudesse observar por qual fenda o elétron passaria.

Na presença deste aparelho de observação o elétron se comportou novamente como partícula, como visto no primeiro exemplo.

(A animação poderá facilitar sua compreensão)

O simples fato de observá-lo alterou seu comportamento. O elétron sabia que estava sendo observado, e deixou de expressar-se como onda por este motivo. O elétron tem Consciência própria e age de acordo com observador. Os resultados dos experimentos sempre se repetem, trata-se de uma prova cabal.

ESCLARECENDO:

1- O elétron, ou qualquer tipo de partícula atômica ou subatômica, ou seja, qualquer coisa que exista, são apenas maneiras diferentes desta Única Energia Consciente (Onda) se expressar. Niels Bohr afirmava que os elétrons não existiam, eram apenas tendências;

2-Essa Única onda está em todos os lugares, em suma é tudo que existe. Nosso mundo observável, nossa vida, rotina reside dentro desta Onda. Eu, você, o japonês do outro lado do mundo, a formiga, a nuvem do céu, o ar, o sistema solar, a galáxia, o buraco negro x, a nebulosa y, tudo é uma forma organizada desta Onda, desta Única Energia se manifestar. E mais do que óbvio, esta única Energia, essa única Onda, é incomensuravelmente Inteligente, e a própria disposição de organização universal mostra que a capacidade consciente desta Energia é infinita. Os cientistas tem nomeado esta energia com distintos nomes como Vácuo Quântico, Campo Zero, entre outros.

3- Esta Consciência Universal, esta única Onda, esta única Energia é ”auto-consciente através de nós”. O experimento mostra que o observador tem o poder de interferir no comportamento do elétron através de uma intenção, de uma escolha. Ou seja, esta Consciência Universal experiencia seu infinito potencial criativo através de suas inúmeras formas manifestas de individualidades.

A perspectiva de que vivemos num mundo material com leis imutáveis vindos do acaso, que cada coisa é separada da outra já foi refutada. Não há desculpas para o materialismo, se assim pensar, lamento em dizer que você está atrasado a séculos. Este experimento foi um dos pioneiros da chamada Mecânica Quântica, que ate hoje encontra forte resistência a ser aceito mesmo diante as provas. Se Tudo é uma onda, como se separar de tudo que existe? Das plantas, dos animais, ecossistemas, do outro ser humano? Se você faz o mal você estará prejudicando a si mesmo e a todos. Como fica pra você que odeia outra pessoa por qualquer motivo superficial (superficial, por que o que são estas coisas diante do Cosmos?) como cor da pele, etnia, religião, posição política, nacionalidade, orientação sexual e etc.? A humanidade está atolada nisto, depois de séculos estas coisas ainda não foram superadas. Como se posicionaria um grupo de pessoas responsáveis por uma indústria que está a destruir o meio ambiente? Se tivessem consciência, destruiriam algo que está diretamente ligada a eles?


Bem, voltemos ao assunto.

*-Há uma Única Energia Consciente que permeia tudo que existe, consequentemente,
tudo que existe são formas diferentes de expressão dessa Única Força Consciente.

Experimento Bell:

Experiências ou experimentos dos testes de Bell ou das inequações de Bell, ou ainda desigualdades de Bell são projetados para demonstrar o mundo de real existência de certas consequências teóricas do fenômeno de entrelaçamento em mecânica quântica o qual não poderia ocorrer de acordo com a imagem clássica do mundo de realismo local. De acordo com o realismo local, as correlações entre os resultados de diferentes medições realizadas em sistemas físicos separados têm que satisfazer certas restrições, chamadas inequações ou desigualdades de Bell. John Bell derivou a primeira inequação deste tipo no seu artigo “On the Einstein-Podolsky-Rosen Paradox”. O teorema de Bell estabelece que as predições da mecânica quântica não podem ser reproduzidas por qualquer teoria de variáveis ​​ocultas locais.

De acordo com a teoria quântica, a natureza de uma partícula não existe até que ela seja medida, o que significa que ela apenas existe em um estado de superposição até que alguém decida observar. As partículas também podem ser entrelaçadas, o que significa que elas estão intimamente ligadas entre si não importa a distância que as separem – se o estado da partícula A, localizada do outro lado do universo, for alterado, o estado da partícula B, aqui na Terra, também será, instantaneamente.

Então isso significa que quando você mede uma partícula, você não só está determinando a sua natureza naquele momento, você também está definindo a natureza da sua parceira emaranhada. É por esta razão que Einstein, e muitos outros físicos, duvidaram da existência do emaranhamento quântico, porque essencialmente significa que a informação passa entre as duas partículas emaranhadas muito mais rápido do que a velocidade da luz – possivelmente em uma velocidade infinita.

Este último experimento envolveu físicos da Holanda, Reino Unido e Espanha, que emaranharam pares de elétrons separados por uma distância de 1,3 km. Liderados pelo pesquisador B. Hensen da Delft University of Technology, na Holanda, a equipe mediu um dos elétrons enquanto um grupo observava imediatamente se seu parceiro era afetado.

experimento conseguiu fechar essas brechas combinando os benefícios de fótons com elétrons, que são mais fáceis de medir. Para fazer isso, a equipe emaranhou o spin de dois elétrons com dois fótons diferentes. Esses dois elétrons estavam localizados em laboratórios separados por 1,3 km, enquanto os fótons foram enviados para um terceiro local e, em seguida, emaranhados em separado com os outros.

Assim que os fótons são emaranhados, bingo, os dois elétrons originais giram, mesmo em laboratórios muito distantes. A equipe realizou 245 testes do experimento, comparando elétrons entrelaçados e relatam que o limite de Bell é violado, e mostrando uma das raras vezes que Einstein estava errado.

O experimento também é um enorme passo para a criptografia quântica, que é um sistema de segurança hipoteticamente impossível de ser violado, uma vez que depende de partículas emaranhadas para verificação. Veja a notícia: Google constrói computador quântico 100 milhões de vezes mais rápido que um PC http://googlediscovery.com/2015/12/10/google-constroi-computador-quantico-100-milhoes-de-vezes-mais-rapido-que-um-pc/

O que se entende por uma comunicação instantânea mais rápido do que a velocidade da luz? Simplesmente isto nos diz que a separabilidade aparente de distâncias perceptível ao nossos sentidos, não existe. A manifestação atômica e a constituição do universo em moléculas, elementos químicos, células, organismos, corpos celestes etc nos dá esta impressão de distanciamento, de km, de anos-luz. Mas a realidade é que não passa de uma expressão, de uma manifestação desta única Onda/Energia organizada inteligentemente. Dai o aforismo ”Somos todos Um”.

No documentário ” A Ciência dos Milagres”, você terá acesso a inúmeros experimentos científicos que abordam este tema.


Metáforas dos Evangelhos Apócrifos:

Atos de João
Atos de João faziam parte das obras usadas pelos maniqueus no fim do século IV. Há indícios de terem sido compostos em Edessa, no final do século II d.C., em conjunto com Atos de Pedro, Paulo, André e Tomé, por um autor de nome Leucius Charinus, que viveu na Síria e teria sido discípulo de João. .
Este escrito, que você verá a seguir, foi duplamente condenado, tanto pelo papa Leão I(440-461 d.C.) quanto pelo Concílio de Bispo de Nicéia (787 d.C.). Foi proibida sua reprodução e determinada sua destruição pelo fogo.
A tradução do evangelho de João foi baseada na Evangiles Apocryphes, páginas 157 à 179 de F.Amiort. E da obra de Mario Erbetta, in Gli Apocrifi del Nouvo Testamento.

”Antes que fosse preso pelo julgamento dos Judeus, O Mestre nos reuniu a todos e disse:
“Antes que eu seja entregues a eles, cantaremos um hino ao Pai e, em seguida, iremos ao encontro daquilo que nos espera”.
Ele pediu que nos déssemos as mãos em roda e colocando-se no meio, disse:”Respondei-me Amém.” (…)
“Não tenho morada mas estou em todas os lugares.”-Amém.
“Não tenho templo mas estou em todos os templos.”-Amém.”


Primeira Carta de São Clemente aos Coríntios
”CAPÍTULO XXVIII
3-Para onde fugirei e onde me esconderei de Tua face? Se subir ao céu, lá estás. Se me retiro para as extremidades da terra, lá está a tua direita. Se me atiro nos abismos, lá está o Teu Espírito.
4-Portanto, para onde poderia alguém ir para escapar Daquele que tudo envolve?.”


O Evangelho Segundo Felipe
O Evangelho de Feilipe provavelmente foi escrito originalmente em grego, ainda que não seja possível precisar se no primeiro, segundo ou terceiro século. O exemplar encontrado entre os textos da biblioteca de Nag Hammadi é uma tradução para o copto, a língua do alto Egito no início de nossa era, provavelmente efetuada no quarto século.
Ao contrário dos evangelhos canônicos, o Evangelho de Felipe não contém uma narrativa sistemática da vida e ministério de Jesus em ordem cronológica. Ele segue a linha da tradição oral de relatar, independente do contexto histórico, ensinamentos atribuídos a Jesus e interpretações de aforismos e práticas espirituais, presente em outros textos apócrifos.

”Por isto, nem os bons são bons, nem os maus são maus, nem a vida é vida, mem a morte é morte. Assim é que cada um se dissolverá em sua origem primordial. Mas os que estão exaltados acima do mundo são indissolúveis, eternos.”

”Ninguém pode ver algo das coisas que realmente existem a menos que se torne como elas. Não é assim que se passa com o homem no mundo: ele vê o sol sem ser o sol; vê o céu, a terra e todas as outras coisas, mas ele não é estas coisas. Isto está de acordo (pg 147) com a verdade. Mas, tu viste algo daquele lugar e te converteste naquelas coisas.”

”A verdade não veio nua ao mundo, mas veio em modelos e imagens. O mundo não receberá a verdade de qualquer outra forma. Há um renascimento e uma imagem do renascimento. ”

”No momento temos as coisas manifestadas da criação. Dizemos, “Os fortes que são tidos em alta estima são grandes indivíduos. E os fracos que são desprezados são os obscuros.” Contraste esta situação com as coisas manifestas da verdade: elas são fracas e desprezadas, enquanto as coisas ocultas são fortes e tidas em alta estima. ”


O Evangelho Segundo Maria Madalena      
Este Evangelho foi escrito provavelmente no século II. Foi através de um fragmento copta, que ele chegou até nós. O destaque fica para a estranha parábola que Jesus conta para Maria Madalena. Esta passagem ocorreu após sua crucificação.
FRAGMENTO DO EVANGELHO SEGUNDO MARIA MADALENA

”Salvador disse: “Todas as espécies, todas as formações, todas as criaturas estão unidas, elas dependem umas das outras, e se separarão novamente em sua própria origem. Pois a essência da matéria somente se separará de novo em sua própria essência. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça”.”


Evangelho Segundo Tomé o Dídimo
O Evangelho de Tomé é um dos 52 textos da Biblioteca de Nag Hammadi, encontrada numa caverna no Egito em 1947. Este Evangelho, escrito em copto, a língua do Alto Egito no início de nossa era, é uma tradução de um original grego, provavelmente escrito em meados do primeiro século. Portanto, ele é um dos documentos mais antigos de nossa tradição cristã, já que os quatro Evangelhos incluídos na Bíblia foram escritos provavelmente entre os anos 80 e 120 de nossa era.
Sua autoria é atribuída a Tomé, que é chamado logo no início do texto de “irmão gêmeo” de Jesus. Este parentesco deve ser entendido no seu sentido esotérico. Tomé seria um discípulo que havia alcançado um estado de realização interior que o tornava um gêmeo espiritual do Salvador.

”(1) E ele disse: “Quem descobrir o significado interior destes ensinamentos não provará a morte[inconsciência)”.                                                                                                                                          (2) Jesus disse: “Aquele que busca continue buscando até encontrar. Quando encontrar, ele se perturbará. Ao se perturbar, ficará maravilhado e reinará sobre o Todo[Consciência Universal].”
(3) Jesus disse: “Se aqueles que vos guiam disserem, ‘Olhem, o reino está no céu,’ então, os pássaros do céu vos precederão, se vos disserem que está no mar, então, os peixes vos precederão. Pois bem, o reino está dentro de vós, e também está em vosso exterior. Quando conseguirdes conhecer a vós mesmos, então, sereis conhecidos e compreendereis que sois filhos do Pai vivo. Mas, se não vos conhecerdes, vivereis na pobreza e sereis essa pobreza.”
(23) Jesus disse: Escolherei dentre vós, um entre mil e dois entre dez mil, e eles permanecerão como um só.”
(30) Jesus disse: “Onde há três deuses, eles são deuses. Onde há dois ou um, estou com ele.”
(50) Jesus disse: “Se vos perguntarem: ‘De onde vindes?’ respondei: ‘Viemos da luz, do lugar onde a luz nasceu dela mesma, estabeleceu-se e tornou-se manifesta por meio de suas imagens’.
(61)Jesus disse-lhe: “Eu sou aquele que existe a partir do indivisível. Recebi algumas das coisas de meu pai.”
(77) Jesus disse: “Eu sou a luz que está sobre todos eles. Eu sou o Todo. De mim surgiu o Todo e de mim o todo se estendeu. Rachai um pedaço de madeira, e eu estou lá. Levantai a pedra e me encontrareis lá.[Todo = Consciência Universal/Vácuo Quântico]”
(83) Jesus disse: “As imagens manifestam-se ao homem, mas a luz que está nelas permanece oculta na imagem da luz do Pai. Ele tornar-se-á manifesto, mas sua imagem permanecerá velada por sua luz.”
(106) Jesus disse: “Quando fizerdes de dois, um, vos tornareis filhos do homem, e quando disserdes: ‘Montanha, move-te!’, ela se moverá.”
(113) Seus discípulos disseram-lhe: “Quando virá o Reino?”
[Jesus disse]: “Ele não virá porque é esperado. Não é uma questão de dizer: ‘eis que ele está aqui’ ou ‘eis que está ali’. Na verdade, o Reino do Pai está espalhado pela terra e os homens não o vêem.”


Livro de Gênesis
”Deus traria agora à existência o Universo que, repleto de vida, giraria em torno de Seu trono firmado em Sião. Acompanhado por Seus ministros, partiu para a grandiosa realização.
Depois de contemplar o vazio imenso, o Eterno ergueu as poderosas mãos, ordenando a materialização das multiformes maravilhas que haveriam de compor o Cosmo. Sua ordem, qual trovão, ecoou por todas as partes, fazendo surgir, como que por encanto, galáxias sem conta, repletas de mundos e sóis – paraísos de vida e alegria -, tudo girando harmoniosamente em torno do monte Sião. ”


A Sophia de Jesus Cristo
A chamada “Sophia” teve seu texto encontrado na Biblioteca de Nag Hammadi (em duas cópias, III,3 e V,1), descoberta em 1945 no alto Egito, e também presente no Códex de Berlim – encontrado no séc. XIX. Foi dirigido a uma assembléia que já conhecia o gnosticismo. Este texto foi reelaborado no séc. II d.C., na Escola de Valentino, a partir de ‘Epístola de Eugnostos’, que tem um conteúdo de gnosticismo mais egípcio. Esta última – séc. I a.C. – é uma carta formal, mais curta e direta, escrita por um Instrutor a seus discípulos, também encontrada em Nag Hammadi (III,4). As passagens colocadas entre colchetes [ ] em itálico fazem parte da ‘Epístola de Eugnostos’ e foram aqui acrescentadas quando a diferença entre os dois textos é expressiva. O texto ‘A Sophia de Jesus, o Cristo de Deus’ é apresentado na forma de diálogos, enquanto na epístola os discípulos não são nominados, mas apenas as instruções.)

”O Salvador disse a eles: “Quero que saibam que todos os homens nascidos na terra, desde a fundação do mundo até agora, sendo pó, apesar de terem inquirido sobre Deus, quem ele é e como é ele, não o encontraram. Ora, os mais sábios entre eles especularam sobre o ordenamento (8) do mundo e seus movimentos. Mas sua especulação não alcançou a verdade. Pois, é dito por todos filósofos que o ordenamento é direcionado de três maneiras e por isso não há concordância entre eles.

(…)O Salvador riu e disse a eles: “O que vocês estão pensando? Porque estão perplexos? O que estão procurando (entender)?”
Filipe respondeu: “A respeito da realidade subjacente do universo e do plano”.
O Salvador disse a eles: “Quero que saibam que todos os homens nascidos na terra, desde a fundação do mundo até agora, sendo pó, apesar de terem inquirido sobre Deus, quem ele é e como é ele, não o encontraram. Ora, os mais sábios entre eles especularam sobre o ordenamento (8) do mundo e seus movimentos. Mas sua especulação não alcançou a verdade. Pois, é dito por todos filósofos que o ordenamento é direcionado de três maneiras e por isso não há concordância entre eles.
Alguns deles dizem que o mundo é dirigido por si mesmo. Outros que é a providência (que o dirige). E outros, que é o destino. Mas não é nenhum desses. Novamente, das três explanações que há pouco mencionei, nenhuma está próxima da verdade e elas são dos homens.
Mas eu, que vim da Luz Infinita. Estou aqui – por conhecê-la – para que possa (9) falar-lhes a respeito da natureza precisa da verdade. Tudo quanto seja de si mesmo é uma vida contaminada, pois é auto-gerado. A providência não possui sabedoria nela. E o destino não discerne.

[Pois tudo quanto seja de si mesmo é vazio de vida, é auto-gerado. A providência é tola. E o destino é algo sem discernimento.]
Mas a vocês é dado conhecer. E quem quer que seja merecedor do conhecimento, (o) receberá, aquele que não tenha sido gerado pelo relacionamento impuro (10), mas pelo Primeiro Que Foi Enviado, pois ele é imortal em meio aos homens mortais.”
[Então, quem quer que seja capaz de se libertar destas três opiniões que há pouco mencionei e vir, por meio de outra explanação, a reconhecer o Deus da verdade e concordar em tudo concernente a ele, esse é imortal, habitando em meio aos homens mortais.]

Ora, ele é eterno, não tendo nascido, pois todo aquele que nasce, perecerá. Ele não foi gerado, não tendo princípio, pois tudo que tem um princípio, tem um fim. Já que (12) ninguém o governa, ele não tem nome, pois quem quer que tenha um nome é a criação de um outro (13). Ele é inominável, não tem forma humana, pois todo aquele que tem forma humana é a criação de um outro. Ele tem a aparência de si mesmo (14) – não como aquela que vocês viram e receberam, mas uma aparência estranha que supera todas as coisas e é superior ao universo.
Ele olha para todos os lados e vê a si próprio a partir de si mesmo. Como é infinito, é eternamente incompreensível. É imperecível e não tem semelhança (a qualquer coisa). Ele é o imutável bem. É sem falhas. Eterno. Abençoado. Apesar de ser incognoscível, sempre conhece a si mesmo. Ele é imensurável. Insondável. É perfeito, não tendo defeito. Ele é imperecivelmente abençoado. É chamado ‘Pai do Universo’.”

Filipe disse: “Senhor, como, então, ele apareceu aos perfeitos?”
O Salvador perfeito respondeu-lhe: “Antes que qualquer coisa seja visível, dentre aquelas que são visíveis, a majestade e a autoridade estão nele, visto que ele abarca inteiramente as totalidades, enquanto que nada o abarca. Pois ele é todo mente[Consciência]. E é pensamento, consideração, reflexão, racionalidade e poder. Todos são poderes iguais. São a fonte das totalidades. E todas as raças, desde a primeira até a última, estavam em sua previsão, aquela do Pai Não-gerado e infinito.”


*-A Consciência Individualizada cria a própria realidade, assim sendo, tem a capacidade de alterá-la.

A perspectiva de que somos vítimas do acaso, do azar, num mundo separado e entregues a própria sorte cai por terra. Logicamente isto nos indica uma enorme responsabilidade sobre nossas atitudes, isto inclui a maneira que trabalhamos nossos pensamentos e emoções. Na verdade o que ocorre é que o indivíduo é vítima da própria ignorância, pois todo seu drama particular, de doenças à problemas de relacionamento é criado pelo mesmo,  somente uma mudança de postura consciente no mundo psicológico pessoal pode mudar a realidade exterior que se apresenta.

Experimentos:

Experiências da intenção humana  as propriedades da água

Masaru Emoto (1943-2014), pesquisador japonês, diz ter provado que pensamentos e sentimentos afetam a realidade física. A maior de suas descobertas é a influência do pensamento e das palavras na transformação das moléculas da água.

Esta questão já existe há algum tempo nos reinos da medicina alternativa, devido ao corpo humano ser composto aproximadamente 70% de água. De acordo com o Instituto de Ciências Noéticas, os investigadores têm sugerido que a água intencionalmente influenciada pode ser detectada através de análises de cristais de gelo formados a partir de amostras dessa água. Resultados consistentes normalmente apontam para a ideia de que as intenções positivas tendem a produzir cristais simétricos e esteticamente agradáveis, enquanto que intenções negativas tendem a produzir cristais assimétricos, mal formados e pouco atraentes.

Se os pensamentos e emoções podem fazer isto com a água, imagine o que esses pensamentos e intenções podem fazer ao ser humano.


Efeito Placebo

Tem sido bem documentado que nós podemos mudar a nossa biologia simplesmente por aquilo que acreditamos ser verdade. O efeito do placebo é definido como a melhoria mensurável, observável, ou sentida na saúde ou de comportamento não atribuído a um medicamento ou tratamento invasivo que tenha sido administrado. Ele sugere que se pode tratar várias doenças, usando a mente para curar. Muitos estudos têm demonstrado que o efeito do placebo (o poder da consciência) é verdadeira e altamente eficaz.

Um estudo da Escola Baylor de Medicina, publicado em 2002 no New England Journal of Medicine, avaliou a cirurgia para pacientes com dores graves e debilitantes nos joelhos. Muitos cirurgiões sabem que não existe o efeito placebo na cirurgia, pelo menos é o que a maioria deles acredita. Os pacientes foram divididos em três grupos. Os cirurgiões rasparam a cartilagem danificada no joelho de um grupo. Para o segundo grupo, foi lavada a articulação do joelho para remover todo o material que estaria a provocar a inflamação. Ambos os processos são cirurgias convencionais pela qual as pessoas que têm joelhos artríticos graves passam. O terceiro grupo recebeu uma cirurgia de “falsa”, os pacientes só foram anestesiados e enganados quanto à cirurgia no joelho. Para os pacientes que não receberam realmente a cirurgia, os médicos fizeram as incisões e salpicaram água salgada no joelho como se tivessem feito uma cirurgia normal. Eles, então, costuraram as incisões como algo real e o processo foi concluído. Todos os três grupos passaram pelo mesmo processo de reabilitação, e os resultados foram surpreendentes. O grupo do efeito placebo melhorou tanto quanto os outros dois grupos que tiveram a cirurgia.

Outro grande exemplo do efeito placebo veio do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, em 1999. O relatório descobriu que metade dos pacientes severamente deprimidos que ingeriam drogas melhoravam em comparação com os trinta e dois por cento que ingeriam um placebo. Não se esqueça sobre todos os efeitos colaterais e os perigos que têm sido associados aos antidepressivos a cada ano. Não se esqueça de que a “indústria da depressão” por si só é uma indústria multi-bilionária por si só.

Um artigo de 2002 publicado na revista da American Psychological Association’s prevention & treatment, pelo professor da Universidade de psicologia em Connecticut, Irving Kirsch, intitulado “as novas drogas do imperador,” fez algumas das descobertas mais chocantes. Ele descobriu que 80 por cento do efeito de antidepressivos, tal como medido em ensaios clínicos, pode ser atribuído ao efeito do placebo.

”Eu considero a consciência como fundamental. Eu considero a matéria como um produto derivado da consciência. Tudo o que falamos, tudo o que nós consideramos como existente, postula a consciência.”

Metáforas dos Evangelhos Apócrifos:

Atos de João
“Se soubesse como sofrer, seria capaz de não sofrer mais. Aprende a sofrer e tornar-te-ás capaz de não mais sofrer.”


                      Primeira Carta de São Clemente aos Coríntios                                                               ”CAPÍTULO XXX                                                                                                                                            7-O testemunho de nossas boas ações seja dado pelos outros, como assim também aconteceu com nossos pais, que foram justos.”


                                                                      Didaqué

A Instrução dos Doze Apóstolos
Instrução do Senhor para as nações segundo os Doze Apóstolos,
Parte I – O Caminho da Vida e o Caminho da Morte                                                                     CAPÍTULO II                                                                                                                                            ”4-Não tenha duplo pensamento ou linguajar pois o duplo sentido é armadilha fatal.
5-A sua palavra não deve ser em vão, mas comprovada na prática.”


O Evangelho Segundo Felipe  

”Portanto, seria melhor dizerem, “O interior e o exterior, e o que está fora de exterior”. Por causa disto o Senhor chamou a destruição “a escuridão exterior”; não existe nada além dela.  (…)Mas o que está no interior de tudo é a plenitude. Mais interior do que ela não existe nada. ”
”Assim o Espírito se mistura com o Espírito, o pensamento se relaciona com o pensamento, e a (luz) compartilha (com a luz. Se) nasceres como um ser humano, será (um ser humano) que te amará. Se te tornares (um espírito), será o Espírito que se unirá a ti. Se te tornares pensamento, será o pensamento que se associará contigo. Se te tornares luz, é a luz que compartilhará contigo.”
”Aquele que recebeu a habilidade para criar é uma criatura.(…)”
”A ignorância resultará na (morte, porque) aqueles que vivem na ignorância não foram, não (são) nem serão. [ignorância =inconsciência]”


O Evangelho Segundo Maria Madalena

”Pedro lhe disse: “Já que nos explicaste tudo, dize-nos isso também: o que é o pecado do mundo?” Jesus disse: “Não há pecado ; sois vós que os criais, quando fazeis coisas da mesma espécie que o adultério, que é chamado ‘pecado’. Por isso Deus Pai veio para o meio de vós, para a essência de cada espécie, para conduzi-la a sua origem.””
”Em seguida disse: “Por isso adoeceis e morreis […]. Aquele que compreende minhas palavras, que as coloque-as em prática. A matéria produziu uma paixão sem igual, que se originou de algo contrário à Natureza Divina. A partir daí, todo o corpo se desequilibra. Essa é a razão por que vos digo: tende coragem, e se estiverdes desanimados, procurais força das diferentes manifestações da natureza. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça.””

”Eu lhe disse: ‘Mestre, aquele que tem uma visão vê com a alma ou como espírito?’ Jesus respondeu e disse: “Não vê nem com a alma nem com o espírito, mas com a consciência, que está entre ambos – assim é que tem a visão […]”. ”

”(…)Elas perguntaram à alma: ´De onde vens, devoradoras de homens, ou onde vais, conquistadora do espaço?’ A alma respondeu dizendo: ‘ O que me subjugava foi eliminado e o que me fazia voltar foi derrotado…, e meu desejo foi consumido e a ignorância morreu. Num mundo fui libertada de outro mundo; num tipo fui libertada de um tipo celestial e também dos grilhões do esquecimento, que são transitórios. Daqui em diante, alcançarei em silêncio o final do tempo propício, do reino eterno’.”


O Evangelho Segundo Pedro

A INFÂNCIA DE CRISTO SEGUNDO PEDRO                                                                                       Este é considerado o quinto Evangelho, escrito por Pedro, segundo relatos feitos por Nossa Senhora. Publicado pela primeira vez em 1677, conta com versões e, grego, latim, armênio e árabe.
Nesta narrativa, há maiores detalhes sobre o encontro de Jesus com os sábios, no templo de Jerusalém, além de suas brincadeiras com as outras crianças e seu trabalho na companhia de José.

”LII. Jesus e o Médico
Havia entre eles um filósofo muito sábio em medicina e ciências naturais e quando ele perguntou ao Senhor Jesus se ele havia estudado a medicina, este expôs-lhe a física, a metafísica, a hiperfísica e a hipofísica, as virtudes do corpo, os humores e seus efeitos, o número de membros e de ossos, de secreções, de artérias e de nervos, as temperaturas, calor e seco, frio e úmido e quais as suas influências, quais as atuações da alma no corpo, suas sensações e suas virtudes, a faculdade da palavra, da raiva, do desejo, sua composição e dissolução e outras coisas que a inteligência de nenhuma criatura jamais alcançou. ”


Evangélho Pseudo-Epígrafo de Tomé  

O Evangelho de Tomé foi escrito no século I e relata a vida do Senhor Jesus dos cinco aos doze anos. Segundo os estudiosos, é parte de um livro mais antigo ainda, tendo tido diversas versões escritas em grego, siríaco, latim, georgiano e eslavo.

A INFÂNCIA DO SENHOR, NARRADA POR TOMÉ, FILÓSOFO ISRAELITA

”II-Esse Menino Jesus, que na época tinha cinco anos, encontrava-se um dia brincando no leito de um riacho, depois de haver chovido. Represando o correnteza em pequenas poças, tornava-as instantaneamente cristalinas, dominando-as somente com sua a palavra.”


Evangelho Segundo Tomé o Dídimo
”(70) Jesus disse: “Aquilo que tendes vos salvará se o manifestardes. Aquilo que não tendes em vosso interior vos matará se não o tiverdes dentro de vós.”                                        (89) Jesus disse: “Por que lavais o exterior da taça? Não compreendeis que aquele que fez o interior é o mesmo que fez o exterior?”


A Sophia de Jesus Cristo
“Venham das coisas invisíveis até o fim das que são visíveis, e a própria emanação do Pensamento lhe revelará como a fé nas coisas que não são visíveis foi encontrada naquelas que são visíveis, aquelas que pertencem ao Pai Não-Gerado. Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça.

”Filipe disse: “Senhor, como, então, ele apareceu aos perfeitos?”O Salvador perfeito respondeu-lhe: “Antes que qualquer coisa seja visível, dentre aquelas que são visíveis, a majestade e a autoridade estão nele, visto que ele abarca inteiramente as totalidades, enquanto que nada o abarca. Pois ele é todo mente[Consciência]. E é pensamento, consideração, reflexão, racionalidade e poder. Todos são poderes iguais. São a fonte das totalidades. E todas as raças, desde a primeira até a última, estavam em sua previsão, aquela do Pai Não-gerado e infinito.”


 

Acesse o ultimo texto do blog:

Desafio! Com poucas afirmações quebre frequências hipnóticas e mude sua vida!

https://cienciaespiritualidadeblog.wordpress.com/2016/04/01/desafio-com-poucas-afirmacoes-quebre-frequencias-hipnoticas-e-mude-sua-vida/

Se gostou, não deixe de curtir, compartilhar e comentar.

Um abraço fraterno a todos os visitantes.

 Lucas de Sousa Teixeira

11 comentários sobre “As descobertas científicas da Mecânica Quântica traduzem as Metáforas dos Evangelhos Apócrifos

  1. Deveras, são palavras tão sábias e verdadeiras dignas de Mestres Ascensionados. Obrigado pela excelente boa vontade em iluminar. Thanks. Gracias. Dankbaar. Merci. Arigato.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s