A existência da Consciência, uma realidade inegável   

É sabido que o Cosmo está gradualmente se expandindo, contudo poucos param pra pensar no que isto implica e não usam desta informação nem sequer para um posicionamento reflexivo sobre a própria existência neste Cosmo em perene expansão.  Não é difícil entender que quanto mais o Cosmo se expande, mais Consciente se torna, pois isto remete a mais partículas que vão desde o nível subatômico a formar o átomo, que se unirá a outro para formar planetas, sistemas, galáxias etc., e tudo isto de maneira organizada e interrupta. Seria hediondo afirmar que a criação é uma força cega oriunda do acaso, visto que cada uma destas sub-partículas são dotadas de CONSCIÊNCIA. O Universo inteiro é Consciência e nela estamos emergidos.

Está claro que o átomo que constitui tudo, da tela do seu notebook á pupila do teu olho, é consciente do papel dele? Há milhares de anos que se procura estudar as leis que regem o universo e expressá-las de diversas formas tangíveis para compreensão humana a fim de que isto nos seja útil. Vemos estes traços na matemática, física, geometria, química e etc., que retratam expressões lógicas da Consciência Cósmica.

Como manifestações cósmicas que somos, você não acha que deveríamos seguir o propósito da Matriz, que desde o seu diminuto atômico está crescendo em Consciência? Será que deveríamos também expandir para assim abolir as percepções ilusórias que temos da vida e entender o porquê de existirmos?

Talvez você se pergunte: ” Então neste mundo de partículas que constitui a matéria caracteriza distante as coisas umas das outras, um do outro, a matéria separada de outra matéria?” E mais; se a matemática, a química ou outra ciência qualquer não te convenceu da inteligência Consciente do Universo expressando-se, e acaba por se questionar novamente ”Cadê a prova disto tudo? Como se sabe da consciência destes elementos atômicos?”

Calma. Pra você que acha que se trata de uma suposição particular, temos mais de 200 anos de comprovação laboratorial pra cético nenhum botar defeito. Isto revolucionou os meios tecnológicos e de comunicação. Mas infelizmente pouco se mudou na visão de mundo das pessoas a respeito da própria consciência. Refiro-me ao experimento da Dupla Fenda.

Thomas Young

Este experimento foi realizado por Thomas Young em 1803. Young, além de físico era médico, egiptólogo, professor de filosofia e poliglota, dominando 14 idiomas – aos dois anos já aprendera a ler a língua de seu país de origem, a Inglaterra.

O experimento não só ajudou a resolver o debate de séculos sobre a natureza da luz, mas também demonstrou que uma partícula pode se comportar tanto como onda como partícula, a partir da decisão consciente de um observador.

Um dispositivo lança elétrons em direção a um obstáculo com uma fenda, na parede por de trás desta fenda demonstra o comportamento que estes elétrons estão se expressando. A expressão na parede revela que os elétrons se comportaram como matéria (partícula).

Ao colocar uma segunda fenda, se esperaria um comportamento igual, e na parede veríamos duas tiras uma do lado da outra. Contudo, algo inusitado acontece, e na parede vemos um comportamento de expressão de onda.

Para entender com clareza o experimento, se optou realizá-lo com um único elétron de cada vez, assim um elétron não poderia interferir no outro. Depois de muitos elétrons, um a um, atirados pela fenda, o fenômeno visto na parede foi o mesmo.

Então não se tinha concluído ainda se o este único elétron passava por uma fenda, ou pela outra, ou pelas duas fendas ao mesmo tempo. Parecia se comportar e se expressar na parede de inúmeras maneiras distintas. Para poder entender isto, colocou-se antes de uma fenda um aparato que pudesse observar por qual fenda o elétron passaria.

Na presença deste aparelho de observação o elétron se comportou novamente como partícula, como visto no primeiro exemplo.

(A animação poderá facilitar sua compreensão)
https://www.youtube.com/watch?v=lytd7B0WRM8

O simples fato de observá-lo alterou seu comportamento. O elétron sabia que estava sendo observado, e deixou de expressar-se como onda por este motivo. O elétron tem Consciência própria e age de acordo com observador. Os resultados dos experimentos sempre se repetem, trata-se de uma prova cabal.

A perspectiva de que vivemos num mundo material com leis imutáveis vindos do acaso, que cada coisa é separada da outra já foi refutada. Não há desculpas para o materialismo, se assim pensar, lamento em dizer que você está atrasado a séculos. Este experimento foi um dos pioneiros da chamada Mecânica Quântica, que ate hoje encontra forte resistência a ser aceito mesmo diante as provas. Se Tudo é uma onda, como se separar de tudo que existe? Das plantas, dos animais, ecossistemas, do outro ser humano? Se você faz o mal você estará prejudicando a si mesmo e a todos. Como fica pra você que odeia outra pessoa por qualquer motivo superficial (superficial, por que o que são estas coisas diante do Cosmos?) como cor da pele, etnia, religião, posição política, nacionalidade, orientação sexual e etc.? A humanidade está atolada nisto, depois de séculos estas coisas ainda não foram superadas. Como se posicionaria um grupo de pessoas responsáveis por uma indústria que está a destruir o meio ambiente? Se tivessem consciência, destruiriam algo que está diretamente ligada a eles?

O experimento por si só nos remete a uma visão de proporções consciente em relação a nós mesmos. Basta perceber quem é o observador consciente que decidirá como a realidade se comportará. O observador é você. Você cria o tempo inteiro a sua realidade. Estamos tão identificados com eventos da vida diária que perdemos este aspecto, sendo levados por impulsos mentais instintivos, animalescos e inconscientes. Veja a realidade que a nossa humanidade criou…

Lucas de Sousa Teixeira

2 comentários sobre “A existência da Consciência, uma realidade inegável   

  1. Sou uma ávida curiosa nesse caminho da física quântica assim como nas trilhas da espiritualidade. Creio – me ainda muito aquém do ideal que almejo, uma noviça em terreno novo a tatear e a ousar a descoberta do desconhecido. Um dia, num tempo qualquer, essa semente plantada há de germinar, crescer, florir e frutificar. Nesse agora talvez eu não tenha o tempo necessário para um mergulho mais profundo. Obrigada, sua explicação me somou muito.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s